Combate à onda de desinformação.

Por que o mundo livre está perdendo a batalha da (des) informação?

Sobrecarga cognitiva

Há tanta informação na internet, que criar sua própria realidade é mais fácil do que saber o que é real.

Os trolls* estão lá fora, lançando artigos e compartilhando informações erradas em um ritmo mais rápido do que nossas instituições podem combater.

Estamos falando de volume aqui. Se levar 3 dias para escrever um artigo bem pesquisado em um veículo de notícias respeitável e 3 horas para criar um conceito de notícia meia boca, mas que agrada aos nossos instintos humanos, o volume de distorção da desinformação rapidamente superará o volume de informações.

Fator Econômico nas conspirações

Infelizmente, o acima exposto também significa que é simplesmente muito mais barato produzir o conteúdo que está causando os danos. Embora os grandes meios de comunicação tenham audiência e possam cobrar dinheiro por suas informações, as fábricas trolls ganham renda com anúncios e, quando uma teoria da conspiração se torna viral, sua renda aumenta.

Aumento do sofrimento econômico e social

Com o aumento da automação, trabalhadores de baixo nível estão se tornando cada vez mais substituíveis. Infelizmente, seu ofício não é mais necessário e eles temem por sua segurança econômica.

Ao mesmo tempo, um nível mais baixo de colaboração (menos trabalhadores em fábricas e outros locais de trabalho, menos interações cara a cara para o trabalho em geral) também significa mais solidão, medo dos outros e maior propensão a informações divergentes e polarizadas.

Complexidade sistêmica

O mundo está ficando mais conectado a cada dia. As informações divulgadas por um agricultor na Indonésia podem ser instantaneamente consumidas por toda a população da Finlândia. Em um mundo mais complexo e com mais conexões, é cada vez mais difícil ver o cenário todo e sozinho compreender sentido.

Embora tenhamos desenvolvido cérebros para viver em pequenas tribos, de repente nos é concedida essa quantidade infinita de conectividade.

Plataformas sociais como o Facebook facilitam que as teorias da conspiração se tornem virais em nichos de grupos sociais. Grupos privados no Whatsapp etc. são ainda mais difíceis de lidar, pois a desinformação está circulando desenfreadamente. Uma vez que uma campanha de desinformação convence um pequeno número de indivíduos, eles a espalham como fogo através de canais não rastreados e com impulso suficiente, a bola continua rolando sem controle.

Uma questão de confiança

Estados e instituições lutam com as mesmas questões. Com tantos problemas para resolver, tantas partes interessadas e complexidades na gestão, eles são incapazes de responder à crescente complexidade do sistema. Quando eles começam a decepcionar as pessoas, mostrando uma imagem clara do mundo, sua confiança diminui.

* Criadores de conteúdo que exploram deliberadamente as fraquezas da natureza humana ou de uma comunidade de internautas específica. Estando muito mais interessados em como outras pessoas reagem às suas edições do que com os conceitos propriamente ditos.




Deseja ajudar?

Não vemos uma solução clara, mas vamos construir um grupo de cidadãos conscientes que desejam causar impacto e vamos ver se conseguimos pensar em soluções tecnológicas e sociais que possam ajudar.


Leia sobre o processo (inglês)


Entrar em contato